Sabrina Lino

Josephine Langford nasceu no dia 18 de agosto de 1997 em Perth, Australia, filha dos médicos Elizabeth e Stephen Langford e irmã mais nova de Katherine Langford. Desde cedo, Josephine já sonhava em ser atriz e em 2013 iniciou sua carreira e desde então nunca parou. Leia mais

Por em junho 28, 2019

Desde que Josephine Langford se lembre, ela sempre quis se tornar atriz. Vindo de Perth, na Austrália, JO – como muitos se referem a ela – é filha de dois médicos que cresceram com paixão por canto, dança e música. “Estou hesitante em dizer que eu era aquela típica criança fazendo performances/apresentações, mas essa era definitivamente eu”, ela confessa. Ela se tornou inflexível em atuar desde jovem e lembra que não podia imaginar fazer qualquer outro tipo de trabalho.

Tal como acontece com muitos atores iniciantes, demorou algum tempo para ela não só dominar seu talento, mas para descobrir como realmente garantir papéis. Aos 14 anos, ela ganhou seu primeiro show de atuação paga aparecendo em um vídeo corporativo que foi mostrado para as famílias que estavam passando por um divórcio. “Perth, onde moro e cresci, é uma das cidades mais isoladas do mundo. Não há uma indústria grande e temos apenas cerca de quatro agentes. Eu não cresci conhecendo alguém que trabalhasse no ramo do entretenimento”, diz ela. Então, ela tomou o controle da situação e começou a passar o tempo em seu computador pesquisando tópicos como “como entrar na televisão” ou quando ela tinha 12 anos, “Audições da Disney”.

Invadir o mundo do entretenimento pode ser um desafio e com ele podem ocorrer repetidos surtos de rejeição. ”As pessoas me perguntam como eu lido com a rejeição quando não consigo um certo trabalho. Eu acredito que se você não conseguir um papel, é porque você não é certo para isso. Você apenas tem que esperar pelo certo.” Passando sete anos após seu primeiro trabalho, sua paciência e perseverança valeram a pena. Em abril, ela apareceu na grande tela, como a protagonista feminina na adaptação cinematográfica de After, o altamente antecipado filme baseado na série de livros de enorme sucesso escrita por Anna Todd. Ela diz que “foi uma longa jornada e várias coisas tiveram que acontecer nos bastidores. As pessoas sempre acham que o sucesso acontece da noite para o dia, mas isso não acontece. ”Sua grande oportunidade, interpretar Tessa Young, foi originalmente prejudicada pelo conflito de horários, mas a maré acabou mudando a favor dela. ”Originalmente, eu não fiz um teste porque estava trabalhando em outro projeto, mas dois meses depois eles mudaram a data de filmagem e eu fiz o teste para outro papel no filme. Recebi um retorno de chamada no Skype e uma ligação do meu agente, que disse que queria se encontrar comigo para um papel principal. Eu fui para Los Angeles, tive algumas reuniões e foi isso.

A saga de cinco livros, que acumulou mais de 1,5 bilhões de leituras no site digital, Wattpad, além da edição impressa publicada por Simon & Schuster, acumulou uma fanbase dedicada que não parecem ter tido o suficiente. Ao se encontrar com Josephine, você rapidamente junta que ela tem um ar sobre ela que é descontraído e maleável, então faz sentido que ela aproximou-se de sua personagem sem muita intimidação, no que diz respeito do que os fãs esperavam. “Sempre que você está interpretando um personagem que é conhecido e amado por várias pessoas, sempre haverá expectativas. Como um ator, você tem a responsabilidade de ter certeza que você está interpretando certo, mas ao mesmo tempo, você não pode se permitir sentir tanta pressão que você não será confiante ou seguro no que você está fazendo.” Uma vez que ela estava confirmada, as coisas aconteceram rapidamente e ela não teve mais do que dez dias para se preparar antes de começar a gravar em Atlanta. Nessa oportunidade, ela dominou seu sotaque americano, leu o livro, junto com o roteiro e teve um período de ensaio de uma semana que permitiu ela se relacionar com os co-stars, que incluiu Hero Fiennes Tiffin, seu interesse amoroso, e Selma Blair, que interpreta sua mãe. O filme é uma história de amor de maioridade, com um enredo que muitos jovens adultos podem se identificar – Tessa é uma caloura na universidade, que se apaixona por um garoto misterioso e bad boy, Hardin, interpretado por Hero Fiennes Tiffin e o enredo se desenrola a partir daí.

Eu falei com Josephine pelo telefone em Nova York, cerca de um mês depois de conhecê-la no nosso shoot. Ela acabou de encerrar sua primeira turnê mundial de imprensa, onde ela passou três semanas na estrada com Hero e Anna viajando para pontos na Espanha, México e Brasil. “Eu me sinto muito sortuda que eu fui capaz de visitar tantos países lindos que eu nunca tive a oportunidade de visitar antes. A agenda de imprensa não foi muito grande. Nós nos tornamos realmente próximos, então nós nos divertimos muito. Eu me sinto muito sortuda que o meu trabalho me permite viajar para viver.” Nós conversamos sobre o futuro, possivelmente uma sequência para After, e o tipo de material que desperta seu interesse. “Eu li algumas coisas recentemente que eu sou completamente obcecada mas nada está confirmado até o momento – eu ainda estou explorando. Sempre que eu olho para um enredo, eu olho para o personagem. Tem que ter alguma coisa, sempre inexplicável, sobre isso que me faz querer fazer.”

Matéria: ROSE & IVY Journal. | Tradução: Sabrina e Carol (Equipe Josephine Langford Brasil)
Por em junho 11, 2019

Josephine Langford será a próxima estrela – guarde a nossa palavra. A irmã mais nova da estrela Katherine Langford de Os 13 porquês, Josephine seguiu os passos de sua irmã de Perth para Los Angeles e você pode reconhecer a jovem de 21 anos no filme After, adaptado da série de livros que foi originalmente baseado em uma fanfic de Harry Styles. Papel dos sonho ou o que? GF se encontrou com Josephine para conversar sobre atuação, sua irmã mais velha e morar em Perth.

Como seus pais se sentiram por não ter uma, mas duas atrizes na família?
Eles eram indiferentes. Eu acho que eles só querem que eu seja feliz e eles sabiam que atuar me fazia feliz e que eu era boa nisso, então eu provavelmente faria isso bem. Não era como uma escolha de carreira sem esperança/sucesso, então eles estavam bem com isso.

Seu pai é um médico voador. Isso parece quase tão excitante quanto ser uma atriz de Hollywood!
Eu acho que sim, mas eu sempre quis atuar. Eu nunca quis trabalhar em um escritório.

Perth ainda é uma casa para você?
Sim, mas eu estive em Perth por apenas três dias o ano todo, então eu tecnicamente ainda moro em casa, mas estou mais em LA.

Há quanto tempo LA é sua segunda casa?
Tem sido um processo lento. Eu fui a Los Angeles pela primeira vez quando tinha 15 anos e, novamente, aos 17 anos, e a cada ano eu ia uma ou duas vezes por ano, três vezes, quatro vezes. Apenas recentemente, é como se eu estivesse aqui o tempo todo.

Você conversa com sua irmã mais velha, Katherine, sobre atuar?
Não sobre atuação, porque eu sinto que nós duas sabemos o que estamos fazendo. Portanto, não há muito que possamos compartilhar em termos de dicas de atuação.

Houve um momento em sua infância em que você sabia que tinha que atuar?
Não houve momento específico ou uma coisa que me fez ir, bam! Eu quero ser uma atriz. Eu me lembro de assistir Piratas do Caribe e pensar, ”isso parece muito divertido” e eu assistia a cenas dos bastidores por horas. Eu acho que é quando eu realmente percebi que isso era o que eu queria fazer como carreira porque eu não conseguia ver mais nada que parecesse mais divertido tanto quanto fazer um filme.

Você sentiu alguma pressão para estar à altura das expectativas dos fãs para a adaptação de After?
Quando algo têm uma fan base tão apaixonada, sempre vão ter expectativas de como o personagem vai ser interpretado – então sim, você tem uma responsabilidade de acertar, mas acho que é importante como atriz não se sentir pressionada para interpretá-la de um certo modo. Se você só está preocupada com o que os outros estão pensando, você não vai estar confiante em suas escolhas e isso vai levar à uma performance inconsistente. Então eu senti as expectativas, mas eu também tentei não me sentir pressionada.

Perguntas rápidas:
Ultimo filme pelo qual chorou? O ódio que você semeia.
Peça de roupa favorita? Pijamas.
Ultima comida que comeu? Sanduíche de peru.
Livro favorito?After!
Ultimo emoji que usou? Não uso emojis.
Filme favorito?O quinto elemento, O cavalheiro das trevas e O brilho eterno de uma mente sem lembranças.
Ultima coisa que comprou? Lenço de tirar maquiagem.
Atriz australiana favorita? Cate Blanchett.

Têm mais quatro livros na série After. Você já está contratada para todos eles?
Sim. Eu adoraria fazer o próximo filme, porque sinto que temos muito mais história para contar.

Você é um “rato de biblioteca” (viciada em livros)?
Não, eu queria ser. E eu realmente acredito que ler tinha que ser mais importante do que se exercitar. Eu gostaria mais de viver em uma sociedade inteligente do que em uma “em forma”.

O que você faz no seu tempo livre?
Eu durmo, como, assisto filmes e saio com amigos.

Quando você está em casa em Perth, você está sempre no mar? Você surfa?
Eu não sei surfar, mas adoraria aprender.

Matéria: Revista Girlfriend. | Tradução: Sabrina e Chris (Equipe Josephine Langford Brasil)

Por em junho 05, 2019
Por Mike Mack (5 de Junho de 2019)

Das mentes sinistras que lhe trouxeram A purga, A morte te dá parabéns e Atividade Paranormal, vem a nova série de horror original do Hulu, Into the Dark, que transforma cada feriado em um completo pesadelo. A nova série de antologia de terror contará com diferentes atores em cada episódio, com um novo episódio sendo lançado a cada mês com foco em um feriado daquele mês.

A nona edição da série de terror é intitulada “They Come Knocking” e se concentra no ”Dia dos Pais” e na história de um pai solteiro e sua família de luto, que lidam com a perda de sua esposa e mãe. Quando eles fazem uma viagem a um lugar especial, a quilômetros de distância da civilização, para dizer adeus, eles encontram algumas crianças misteriosas que transformam a viagem em um pesadelo.

Se você está acompanhando meus comentários sobre Into the Dark, você sabe que eu não sou muito fã de terror quando se trata de histórias realmente assustadoras. Slashers e thrillers psicológicos eu posso lidar, mas o material realmente assustador, não tanto. Com isso dito, meus pensamentos sobre “They Come Knocking” são: NOPE! Não, não, não, não.

Isso não quer dizer que não foi agradável. Ainda é uma história muito boa e há muito o que falar sobre isso. É apenas o primeiro episódio da série para me manter acordado durante a noite. Na verdade, enquanto escrevo isso, estou cochilando ocasionalmente devido à falta de sono. É melhor eu escrever um pouco mais rápido.

Se você é um verdadeiro fã de terror, você vai gostar de “They Come Knocking”. As crianças misteriosas mencionadas são incrivelmente assustadoras e a tensão se desenvolve perfeitamente à medida que leva aos grandes sustos. Eu vou dizer que no final, eu não estava tão assustado quanto eu pensava que estaria (eu não contar spoilers). Mas por um tempo, eu posso ou não ter assistido através dos meus dedos.

Como sempre, o elenco é fantástico. Josephine Langford, Clayne Crawford e Lia McHugh retratam a família aterrorizada e, mesmo no tempo limitado que têm, permitem que você se conecte com elas e sinta o que elas estão sentindo. Mesmo que o que eles estejam sentindo seja puro horror que irá mantê-los acordados durante a noite e temendo o som de uma batida na porta.

”They Come Knocking” estréia no Hulu em 7 de junho, com episódios subsequentes de Into the Dark chegando a cada mês durante um ano inteiro. Certifique-se de verificar nossas revisões de episódios anteriores e volte para mais comentários deste novo original Hulu como eu vou tentar ajudá-lo a decidir se cada episódio lhe custará horas de sono.

Matéria: Laughing Place | Tradução: Sabrina (Equipe Josephine Langford Brasil)
Por em maio 11, 2019
Por Alakananda Bandyopadhyay (11 de Maio de 2019)

Um pai tenta proteger suas filhas de entidades obscuras sobrenaturais nesta versão sombria no Dia dos Pais, estrelando o ator de Lethal Weapon Clayne Crawford.

Seguindo o exemplo, a edição de junho do programa terá uma visão horripilante do Dia dos Pais na forma de “They Come Knocking”, estrelando o protagonista de Lethal Weapon, Clayne Crawford.

O elemento de horror desta vez não será a mãe obcecada com seus filhos psicopatas, ou brinquedos infantis que possuam indivíduos aleatórios.

O show volta às raízes do horror e traz o tipo sério de sobrenatural como um pai que tenta proteger suas filhas nesta versão sombria no Dia dos Pais.

Data de lançamento:
A nona edição de Into the Dark, intitulada “They Come Knocking”, será lançada em 7 de junho.

Enredo:
Seguindo o seu estilo característico, a apresentação sombria no festival de junho se concentrará em torno de um pai – que também é viúvo recente – levando suas duas filhas para uma viagem de carro. As coisas tomam um rumo desagradável quando o pai encontra sua família no meio de terríveis criaturas sobrenaturais que transformam o que deveria ser um tempo divertido para a família em nada menos do que um pesadelo traumatizante.

O Criador:
A companhia de produção do maestro de terror Jason Blum, que produziu um bizarro assustador após o outro, como The Purge e a franquia Atividade Paranormal, é o cérebro por trás dessa antologia de horror do Hulu. O nono episódio será dirigido por Adam Mason, baseado em um roteiro de Shane Van Dyke e Carey Van Dyke.

Elenco:
Clayne Crawford:
Depois de uma temporada de duas semanas em Lethal Weapon como o ‘policial louco’ Martin Riggs, Crawford foi repentinamente substituído na terceira temporada após o que se acredita ter sido um conflito entre ele e seu co-líder no programa Damon Wayans. . Esta é a primeira vez desde que Crawford vai se aventurar em papéis de televisão. O Hulu já terá uma forte base de fãs para o próximo episódio de Into the Dark por causa do vocal de Crawford quando se trata de apoiar o ator depois que o conflito em torno de ‘Lethal Weapon’ explodiu.

Josephine Langford:
Mais conhecida como a irmã mais nova de Katherine Langford, de 13 Reasons Why Katherine Langford, a jovem atriz estrelou recentemente a controversa adaptação cinematográfica da fanfic de Harry Styles, After de 2019. Estrelou outros filmes como Wish Upon (2017) e a série Wolf Creek (2016), Langford também lançou uma música quando estava no ensino fundamental, no ano de 2007. Langford fará o papel da filha mais velha de Crawford.

Robyn Lively:
A atriz americana, que é meia-irmã de Blake Lively, é conhecida por seus papéis icônicos em filmes como Teen Witch. Seus outros papéis populares incluem programas como Doogie Howser, MD, Twin Peaks, Savannah e Saving Grace.

Trailer:
Infelizmente, nenhum trailer oficial foi lançado para o episódio ainda.

Matéria: Meaww. | Tradução: Sabrina (Equipe Josephine Langford Brasil)
Por em abril 25, 2019
Girlz (Edição Abril de 2019.)

Entrevistador: Oi pessoal! After é, para vocês dois, a primeira vez em um grande filme. Sempre foi um sonho se tornar ator/atriz?

Hero: Não, não exatamente. Eu fiz alguns trabalhos de atuação quando era mais jovem e depois de não atuar por um tempo, percebi o quanto era divertido e que eu sentia falta disso.
Josephine: Para mim foi sempre um sonho. Eu queria fazer isso desde pequena.

Entrevistador: Em After há algumas cenas bastante íntimas. Como foi filmar essas cenas pela primeira vez

Josephine: Foi tudo bem, na verdade. Nós praticamos muito com um coreógrafo e quando finalmente filmamos as cenas, nos sentimos confortáveis e familiarizados com isso.
Hero: Sim, exatamente. Antes, a ideia de filmar uma cena tão íntima era muito maior na minha cabeça, mas na realidade todo movimento é ensaiado. É como uma dança, na verdade. Às vezes, na câmera, você abre o zíper de um vestido por dois segundos e depois espera 10 minutos para a próxima filmagem.

Josephine: É, é como: abre o zíper, espera, abre mais, espera…
Hero: Não é tão intenso ou estranho como você imagina!

Entrevistador: Quão estranho seria se seus pais assistissem ao filme?

Hero: Cem milhões por cento estranho!
Josephine: Eles provavelmente não vão assistir ao filme. É melhor mostrar apenas os destaques.
Hero: Vou dizer isso: não pretendo assistir o filme junto com pais, mas se eles realmente quiserem vê-lo, obviamente eu não vou impedi-los.

Entrevistador: Vocês dois se conhecem muito bem agora. Como vocês descreveriam o outro em três palavras?

Hero: Feliz, animada e…como você diz grande atriz em uma palavra?
Josephine: Talentosa?
Hero: Sim, talentosa.
Josephine: Aw…Eu descreveria você como honesto, confiante e educado.
Hero: Legal! Obrigado.

Entrevistador: vocês são parecidos com seus personagens?

Josephine: Sim, acho que somos um pouco parecidos. Acho que é cinquenta e cinquenta – o quanto somos iguais.
Hero: Eu reconheço algumas coisas minhas em Hardin. Somos ambos realistas e sempre damos nossa opinião sincera. Mas Hardin um pouco mais do que eu.

Entrevistador: O que vocês fazem para se tornarem completamente seus personagens?

Hero: Algumas vezes são mais fáceis do que outras. Também depende do seu humor e do seu personagem. Eu sempre gosto de ficar sozinho com o figurino por um tempo e tento entrar na mentalidade do personagem.
Josephine: Felizmente eu e a personagem Tessa não somos tão diferentes, então foi mais fácil me tornar ela. Eu sempre precisei de algum tempo para alternar entre as emoções: se você filma sete cenas diferentes em um dia – e três delas são felizes e rindo – e depois você muda para uma cena de choro, é bem difícil.

Entrevistador: Qual cena vocês mais gostaram de filmar e qual vocês menos gostaram?

Josephine: Eu gostei de filmar as cenas da montagem. Nós podíamos ficar brincando e comendo comida chinesa fria.
Hero: Nós estávamos apenas deitados na cama conversando e metade do tempo nós nem notávamos se eles estavam filmando ou não. Eles pegaram pequenos pedaços disso. Foi muito divertido, mas o lago foi meu favorito.
Josephine: Mas também o pior.
Hero: Sim, e o pior. Nós primeiro precisávamos esperar horas para realmente entrar na água e quando finalmente entramos, estávamos na água por um longo tempo. E em alguns momentos estava até chovendo.
Josephine: Estava congelando.

Matéria: GIRLZ | Tradução: Chris (Equipe Josephine Langford Brasil.)
Por em abril 18, 2019
por Mariana Mijares – (18 de Abril de 2019.)

Josephine Langford, a irmã de Katherine Langford nos conta sua experiência em After, o filme baseado na fanfiction que tem mais de um bilhão de visualizações!

After nasceu quando a autora americana Anna Todd começou a escrever no Wattpad uma história romântica e intensa entre Tessa Young e Harry Styles (inspirado no cantor do One Direction mas chamado de Hardin Scott nos livros). Essa se tornou viral e evoluiu para uma saga de livros e agora, um filme protagonizado por Hero Fiennes-Tiffin e Josephine Langford.
A história foca em Tessa (Langford), uma jovem no seu primeiro ano da faculdade, acostumada com uma vida organizada mas cujo o mundo muda ao conhecer Hardin (Fiennes), um ‘bad boy’, um cara com tatuagens, irresistivelmente atrativo e rebelde, com quem Tessa tem a sua primeira vez. A partir desse momento, sua vida depois não será a mesma.
Em exclusiva, Josephine nos conta sobre sua própria vida como estudante, porque acha que nos atraímos por caras maus e sua química inegável com Hero Fiennes-Tiffin.

“É muito importante para as garotas verem um filme sobre uma mulher forte, com autonomia e que toma suas próprias decisões se mantendo fiel à si mesma.”

Seventeen: Como você se identifica com a sua personagem?
Josephine: Sinto que há pessoas que conheço que agem impulsivamente como ela e tentei ser nesse sentido como elas. Eu também procuro não ter muito a esconder. Eu tenho a tendência de inspirar minhas personagens em pessoas que eu conheço porque é difícil julgar a si mesmo.

Seventeen: Qual foi a cena mais difícil?
Josephine: A cena do lago foi complicada. Me molhava e me secava várias vezes. Havia uma possibilidade de tempestades, então quando terminamos a cena, fomos ajudados pelo pessoal de segurança.

Seventeen: Foi um desafio interpretar sua personagem?
Josephine: Sim, mas acredito que queríamos que fosse um desafio, especialmente quando se trata do seu primeiro papel de protagonista. Realmente não se sabe o que esperar e você quer pular fundo.

Seventeen: Nesse filme, Tessa é uma universitária, como você era como estudante?
Josephine: Bem, eu não fui para a universidade como Tessa, mas posso falar da minha experiência no colegial. Alguns anos eu era uma estudante muito dedicada, mas outros [anos]nunca fiz o dever de casa. Me descreveria como uma mistura volátil.

Seventeen: Tessa adora ser organizada e ter tudo sob controle. Você é mais como ela ou se considera mais relaxada?
Josephine: Acredito que sou meio a meio, estou no meio da personalidade A e personalidade B. Digo, eu amo ser organizada, mas às vezes também gosto de improvisar. Uma metade justa.

Seventeen: Essa história se tornou um fenômeno, isso te fez se sentir pressionada de alguma maneira?
Josephine: Acho que foi até filmarmos que eu entendi como era grande e a quantidade de fãs que tem, tanto a fanfiction quanto o romance. No meu caso, até que muitos fãs começaram a chegar aos locais, e no nosso hotel, eu entendi que as pessoas realmente eram apaixonadas por essa história.

Seventeen: Pessoalmente, você já teve muita interação com os fãs?
Josephine: Honestamente, eu não tive muita aproximação com eles. Durante as filmagens, como literalmente estou em todas as cenas – menos em uma – estive sempre ocupada filmando. Mas eu espero que quando começarmos a divulgar o filme isso mude.

Seventeen: Qual foi a sua primeira impressão ao ler o livro e o que você mais gostou em Tessa, sua personagem?
Josephine: Quando o li pela primeira vez, eu gostei como conhecemos a Tessa como uma mulher forte, segura, que toma suas próprias decisões. Ela é uma mulher inteligente e que não muda para agradar os outros. Eu gosto dessa personagem e acho importante vê-la em um romance e um filme para jovens.

Seventeen: Por que você acha que quando somos jovens, tendemos a nos apaixonar pelos caras maus?
Josephine: Sim, isso acontece. Mas mais do que “maus”, acredito que mulheres jovens, com pouca experiência com amor e relações, tendemos a nos apaixonar por caras experientes. A essência disso, desses “jogadores”, é que eles têm muitas qualidades atrativas: são simpáticos, inteligentes, divertidos e por isso muitas jovens se apaixonam por eles. E quando não se tem experiência, é difícil captar esses sinais.

Seventeen: No entanto, nessa história, a conexão entre os personagens torna-se real e intensa…
Josephine: Exato, eu descreveria a relação de Tessa e Hardin diferente. Eles têm primeiro: uma conexão intelectual poderosa, ambos amam romances e isso os atrai inicialmente.

Seventeen: Falando apenas de conexões poderosas, o que pode nos contas sobre a química que teve com Hardin?
Josephine: Bom, eu espero que tenhamos representado a química ou nós estamos fritos (risos). Acredito que somos muito sortudos de termos química, e foi quase imediato porque não tivemos muito tempo para nos conhecer antes de iniciar o projeto.

Seventeen: Falando apenas da relação entre os personagens, você acha que como no filme, os primeiros amores podem marcar um antes e um depois em nossas vidas?
Josephine: Especialmente, nosso primeiro amor é super importante, é a primeira vez que se sente algo intenso por alguém. Explorar-lo realmente pode mudar sua identidade. E nessas relações, o componente físico é um grande fator, algo que te faz amadurecer, mudar.

Seventeen: Por que você gostaria que as leitoras da Seventeen vissem After?
Josephine: Bem, não só as garotas, também gostaria que os garotos vissem! Acho que é uma história muito boa sobre uma mulher jovem que explora sua sexualidade pela primeira vez e que amadurece e muda a partir disso. Além disso, acredito que é muito importante para as garotas ver um filme sobre uma mulher forte, com autonomia e que toma suas próprias decisões mantendo-se fiel a si mesma. Muitos filmes não mostram isso.

Seventeen: Sobre a sua irmã Katherine, como é sua relação? Como vocês se apoiam?
Josephine: É complicado porque vivemos em países diferentes, não nos vemos tanto porque estamos trabalhando muito mas quando nos encontramos, nos vemos com gosto e organizamos pequenas celebrações. Nossa relação se trata justamente de nos apoiarmos, parabenizarmos e nos encorajar

Matéria: SevenTeen México. | Tradução: Carol (Equipe Josephine Langford Brasil.)

Páginas12


Últimas da galeria

Layout por Rosé e codificado por Gabriela Gomes • Josephine Langford Brasil • Hosted by Flaunt